O VÉU em oferta na livraria mais elegante da internet

Primavera Prêt à Porter, loja virtual da Primavera Editorial, é a livraria mais elegante da internet brasileira.

É, também, o melhor lugar para quem quer adquirir o thriller O VÉU com rapidez, comodidade e total segurança.

Lá, o livro está sendo oferecido com um ótimo desconto: de R$ 52,40 por R$ 28,10. E as entregas são feitas em qualquer lugar do Brasil.

Acesse a livraria por este link e aproveite para conhecer outros títulos da Primavera Editorial.

Anúncios

O doce refúgio de Lourenço Monte Mor em Maricá

Araci Quintanilha sentiu uma onda quente de alívio envolver seu corpo quando, enfim, parou o carro diante do muro baixo da casa de Lourenço Monte Mor, de frente para a praia. (…)  Só mesmo o carinho por Lourenço, sobrinho a quem amava como a um filho, para forçá‑la a enfrentar os sessenta quilômetros desde o Rio de Janeiro até o litoral de Maricá.  (…)

A casa onde Lourenço estava morando temporariamente pertencia ao pai dele, Aníbal Monte Mor, cunhado de Araci. Aníbal fora casado com a única irmã de Araci, Iara, que falecera num acidente de automóvel quinze anos atrás. Era uma casa de praia, usada para férias e fins de semana, mas que Aníbal não visitava havia tempos. A construção, graciosa, tinha dois andares, telhado de telhas vermelhas, janelas altas de peroba e era rodeada por um pequeno terreno arenoso, pontilhado por fileiras de casuarinas e coqueiros. A praia, extensa e elegante, de areias alvíssimas e banhada por um mar escuro e bravio, estendia‑se logo abaixo e estava quase vazia, apesar de ser verão. Isso porque uma cortina cinzenta recobria o céu e ventava tanto que as árvores chegavam a vergar, dando a impressão de que, a qualquer momento, se partiriam em duas. (…)

O VÉU na Flip 2011

Flagrante de exemplares de O VÉU em destaque na Livraria da Vila, durante a 9ª edição da Flip, Festa Literária Internacional de Paraty, realizada em julho de 2011 na cidade histórica do litoral fluminense. É o thriller brasileiro marcando presença num dos mais charmosos festivais literários do país.

Oriente Médio em fúria

Em 9 novembro de 2009, às vésperas do lançamento de O VÉU, este blog publicou um post baseado num trecho do livro em que uma possível queda do regime iraniano é mencionada. Agora, com as revoltas populares se multiplicando por vários países do Oriente Médio, o assunto voltou a ocupar as manchetes da imprensa e, por isso, resolvemos republicar aquele post, a fim de reforçar a atualidade da trama de O VÉU. A situação iraniana, exposta no livro, pode se aplicar a muitos governos autoritários da região.


SERÁ O OCASO DA REPÚBLICA ISLÂMICA?

Em junho de 2009, enquanto as ruas de Teerã ardiam com os choques entre a polícia e os manifestantes contrários à suposta fraude ocorrida nas eleições presidenciais que deram mais um mandato ao polêmico Mahmoud Ahmadinejad, a professora universitária Mitra Rahmani, uma das protagonistas de O VÉU,  se encontrou em sigilo com um ministro do governo num parque afastado da capital iraniana. Eis um trecho da cena:

“(…) O rosto de Mitra se contraiu num esgar amargo.

— O senhor fala como se a República Islâmica tivesse muitos anos de vida pela frente — ela declarou, maldosamente.

O ministro balbuciou, como se não tivesse compreendido:

— Perdão?

— O senhor mesmo mencionou a revolta da população depois das eleições. O novo governo não terá tanta legitimidade junto ao povo. E o próprio regime saiu enfraquecido. O banho de sangue que está acontecendo no país apressou a morte da República Islâmica, que pode ter começado a desmoronar neste mês de junho de 2009. Não se esqueça de que a Revolução de 1979 foi uma revolução popular. Se foi o povo que colocou os aiatolás no poder, será o povo que irá tirá-los de lá. E não há absolutamente nada que vocês possam fazer para impedir isso. (…)”

Lendo a matéria acima, publicada na revista Veja, fica a pergunta: será que Mitra Rahmani tinha razão nas suas previsões? A República Islâmica, de fato, caminha para o seu fim?

O VÉU na mídia

Na reta final de 2010, foram ao ar duas ótimas entrevistas com o escritor Luis Eduardo Matta, em que ele falou sobre o thriller O VÉU, publicado pela Primavera Editorial e, também de temas que lhe são caros, como a difusão da leitura entre a população brasileira e a literatura de entretenimento. Ambas acabam de ser disponibilizadas na internet.

A primeira delas, já noticiada num post anterior aqui do blog, foi a conversa com Miriam Ramos no programa Visita Vip da Rádio USP, no dia 12 de novembro, com reprise no dia 22 do mesmo mês:

Parte 1:

Parte 2:

A segunda, foi a entrevista concedida à professora Maria José Petri no programa Arteletra, da TV São Judas.  A conversa foi transmitida pela TV Universitária, no dia 12 de dezembro:

O Irã que pouco aparece na mídia ocidental (2)

O governo do Irã vem, nos últimos tempos, endurecendo ainda mais um regime já bastante restritivo no que se refere a costumes e liberdades. Práticas como o apedrejamento de criminosos, a prisão de opositores, a negação insistente do Holocausto e a repressão a órgãos de imprensa, artistas e jornalistas são altamente condenáveis e deveriam ser prescritas de qualquer regime que se pretenda civilizado e democrático.

Ainda assim é preciso que se diga de que o Irã é muito mais do que isso. Não se trata de fazer uma defesa ou um ataque ao país, mas de tentar enxergar  objetivamente a sua realidade complexa e multifacetada, que não cabe dentro de estereótipos. Por essa razão, damos continuidade ao post de 8 de dezembro passado, e mostramos aqui mais um pouco das facetas menos conhecidas da terra dos aiatolás, que raramente são vistas na grande mídia ocidental (mas que aparecem no thriller O VÉU).

Loja da Benetton, em Teerã

Shopping center Golestan (Teerã)

Vida noturna em Teerã

Mulheres diplomadas em universidade iraniana

O VÉU é tema de blog italiano

Recentemente, O VÉU foi destaque  num blog italiano, cuja  proprietária – fluente em português – leu o romance na edição brasileira e expôs algumas impressões num simpático post, cuja introdução reproduzimos a seguir:

Há países no mundo dos quais se ouve falar quase diariamente. Há países, de cuja situação política, para melhor ou para pior, somos informados detalhadamente,  mas cujo cotidiano, salvo raras exceções ou por causa de eventos dramáticos, conhecemos pouco.

Neste post, estou me referindo em particular ao Irã de hoje, a antiga Pérsia, e gostaria de fazê-lo a partir de um livro que li: O VÉU, o sétimo por Luis Eduardo Matta, publicado pela brasileira Primavera Editorial, 528 pg.

O texto completo (no original, em italiano) pode ser lido no blog Gialli e Geografie.